“Tenho certeza que esse será um parlamento que irá trabalhar durante esta legislatura para se tornar cada vez mais reconhecido e respeitado”… Foi com essas palavras, depois de dar um discreto beijo na primeira dama, que o governador do estado, Rui Costa (PT), deu início à leitura da tradicional mensagem do chefe do Executivo, no Plenário da Assembleia Legislativa, que marca o início dos trabalhos no Legislativo estadual, durante a primeira sessão legislativa da 18ª legislatura, na manhã desta terça-feira, 03 de fevereiro. Com um discurso suprapartidário, Rui pode ter deixado nas entrelinhas a tônica do seu governo, de abertura para outras colorações partidárias, ainda maior do que fez seu antecessor.

Governador Rui Costa lendo a tradicional mensagem ao Legislativo. | Foto: Mateus Pereira/GovBA

Governador Rui Costa lendo a tradicional mensagem ao Legislativo. | Foto: Mateus Pereira/GovBA

Como destaque dos anúncios feitos pelo sucessor de Jaques Wagner, a convocação de 2 mil policiais militares reservistas para realizar o trabalho administrativo e liberar “para as ruas”, os PMs da ativa, além do nome do novo delegado-geral da Polícia Civil, Bernardino Brito Filho, especialista em Direito Público.

Para nem dar trela à polêmica rusga entre a bancada do PT e o reeleito presidente do Legislativo, deputado Marcelo Nilo (PDT), o governador “legitimou” a reeleição, pela quinta vez consecutiva do aliado pedetista, ao parabeniza-lo pela conquista e também saudar a nova composição da Mesa Diretora da Casa. “Do nosso lado, o Executivo estará sempre de portas abertas para o diálogo e a colaboração que se fazem necessários à boa relação entre os poderes”, disse.

“São os senhores que têm a responsabilidade de gerir esta Casa com o equilíbrio, a autonomia e o espírito de parceria que se espera de um Legislativo moderno e independente”, continuou Rui.

“Quero repetir aqui o que disse no dia da posse: a minha esperança é o que alimenta a minha caminhada e, tenho a certeza, não vou decepcionar o povo da minha terra. Tenho uma carta de compromisso para com a Bahia. Ela foi construída a múltiplas mãos por mais de 50 mil pessoas, que se envolveram de maneira voluntária e comprometida para construir o projeto de uma Bahia melhor para todos”, afirmou.

Autoridades políticas, civis e militares entoaram o Hino ao 2 de Julho, | Foto: Mateus Pereira/GovBA

Autoridades políticas, civis e militares entoaram o Hino ao 2 de Julho, | Foto: Mateus Pereira/GovBA

O chefe do Executivo falou ainda da necessidade se se promover desenvolvimento social na Bahia. “Nosso estado, apesar de estar entre os primeiros do país do ponto de vista do seu peso demográfico e econômico, não alcança essa mesma preponderância quando se trata dos seus indicadores sociais, principalmente aqueles que dizem respeito às condições de vida da nossa gente mais humilde. Somos fruto de uma construção histórica, que remonta às nossas raízes coloniais, mas que se estende por um longo período de concentração de renda e poder, que trouxe inevitavelmente como consequência a exclusão social”.

E tratando com atenção o quesito segurança pública, disse que este é hoje o grande desafio do seu governo e da vida moderna: “No caso da Bahia, o foco é o enfrentamento ao crime organizado e ao tráfico de drogas”. Entre o pacote de medidas do seu programa de governo para esta área, Rui Costa destacou a “construção de uma polícia cidadã” e aumentar o policiamento nas ruas.

“Vamos também convocar reservistas da PM para trabalhar nas áreas meio, liberando os agentes para as missões de rua. Além disso, para otimizar os recursos humanos e financeiros, vamos proceder a remodelagem da gestão organizacional e administrativa da PM permitindo que mais polícias possam ficar à disposição das atividades de segurança cidadã que a sociedade espera de nós. Uma das resoluções que estamos tomando é a de reduzir a cessão de policiais a outros órgãos e poderes para aumentar o contingente nas ruas, e por isso pedimos a compreensão frente às possíveis dificuldades que isso possa causar”, anunciou.

Sobre educação, o governador reforçou o convite que fez aos professores, profissionais da educação, políticos, empresários, lideranças sociais e religiosas e aos pais dos alunos de toda a Bahia para firmar “um grande pacto pela educação”. Ele disse que vai monitorar os resultados dos investimentos em educação e que, para tanto, já visitou 15 escolas públicas, inclusive o Colégio Luiz Tarquínio, onde estudou na adolescência.  “A concepção desse Pacto pela Educação é um dos compromissos que tenho para este ano. Desde os primeiros dias de minha administração venho visitando as escolas pelas cidades por onde passo, para conhecer a realidade local e reafirmar a importância da educação. Tomei para mim essa responsabilidade e vou fazer isso em todas as minhas viagens oficiais de governo”, reforçou.

Na área da saúde, Rui disse que pretende ampliar a oferta de serviços básicos, levar medicina de forma preventiva e acessível a toda população, garantir os serviços de média e alta complexidade e assegurar os atendimentos hospitalares. Disse que ainda este ano implantará o PROSUS, um programa voltado para o fortalecimento do SUS na Região Metropolitana de Salvador, com investimento de R$ 285 milhões.

“É com essa visão que vamos, nestes quatro anos de governo, construir novos hospitais de caráter regional. Ainda este mês, vamos dar a ordem de serviço para a construção do novo Hospital Regional da Costa do Cacau. O Hospital Metropolitano, o Hospital São Jorge e a Maternidade de Camaçari também terão suas obras iniciadas. Em Juazeiro, no Hospital Regional será implantada a Unacon – Unidade de Oncologia. Vamos inaugurar este ano a fase 2 do Hospital Geral do Estado e o Hospital da Chapada, localizado em Seabra”, informou.

Rui Costa encerrou sua mensagem ao Legislativo e ao povo baiano conclamando um “pacto de esperança”, independentemente de coloração partidária, se é do governo ou da oposição: “Nós, mesmo com todas as limitações próprias do nosso ofício da política, temos a responsabilidade de ajudar a construir respostas e oferecer as nossas contribuições concretas para isso. Essa é uma tarefa árdua e incessante. Tenho certeza que estamos todos preparados”.

VEJA o pronunciamento na íntegra.

Comentários

Comentários