?Sou MANDACARU, acariciada pela brisa leve do sertão nas belas noites de lua cheia!

?Sou MANDACARU, castigada e curtida pelo sol abrasador nas secas que castigam o sertão!

?Sou MANDACARU, dádiva de Deus para alívio da triste fome e sede que devasta rebanhos de garbosos bovinos!

?Sou MANDACARU, longa e esquelética sombra, porém torna-se frondosa para descanso de sofridos vaqueiros!

?Sou MANDACARU, não tenho tronco forte, qualquer objeto me fere, defendo-me apresentando os meus espinhos!

?Sou MANDACARU, preciosidade do sertão. Fortalecida por Deus. Em minha majestade e fragilidade presenteio-o com Frutos lindos e deliciosos.

?Sou MANDACARU, tenho valor. Sou importante para Deus e procuro retribuir persistindo e resistindo às intempéries da vida!

?Sou MANDACARU, vivo e sobrevivo em terra sofrida e milagrosamente adubada pelo amor misericordioso de Deus.???

*Autora Zuleide Freitas, nossa eterna Pró Zu. Em memória.

Comentários

Comentários