Os títulos “Cinzas de Sonho Desabam sobre mim”, de Marlon Marcos, e “Íntimo Vesúvio”, de Wesley Correia estreiam a Série Duo Poético…

No próximo dia 16 de dezembro, às 15h, o Cinema do Museu vai receber um encontro antológico: será lançada a nova série editorial Duo Poético (Pinaúna Editora), que chega ao mercado literário baiano voltada, exclusivamente, ao gênero poema, contribuindo para fortalecer este segmento da literatura no estado. A estreia se dá com obras de dois atuantes escritores no cenário contemporâneo da Bahia: “Cinzas de Sonho Desabam sobre mim”, de Marlon Marcos, e “Íntimo Vesúvio”, de Wesley Correia. O evento será no café da Saladearte Cinema do Museu, no Museu Geológico, Corredor da Vitória (Salvador, Bahia).

A seleção das duas obras e dos poetas para o primeiro volume, além do que entregam artisticamente nas suas produções anteriores e nos poemas dos novos livros, se deu pelo ponto comum das trajetórias de Marlon (Poemar – 2015/ Oyá Bethânia – 2016) e Wesley (Pausa para um Beijo – 2011 / Deus é Negro – 2013), que, em seus históricos literários, imergem no campo cultural, com produções relacionadas às identidades e à religiosidade afro-brasileira, por exemplo. Nas criações que apresentam na Duo Poético, tratam de questões mais pessoais e íntimas, como as memórias, amores, estranhezas, desilusões, solidão, sonhos, sempre permeadas pelo mistério, pelo sagrado, por suas ancestralidades.

Está na proposta da série literária os encontros e trocas que ocorrem a cada edição, entre dois poetas, cujas criações apresentam elementos que dialogam entre si – na estrutura dos poemas, em temas contextuais ou outra convergência do momento criativo dos autores – fazem parte da atmosfera simbólica em que a Duo Poético está inserida.

Escritor Marcos Malon. | Foto: Divulgação

Sobre o livro CINZAS DE SONHO DESABAM SOBRE MIM o jornalista e organizador da obra, Claudio Leal, diz: “Da Miragem ao Azul, quatro livros formam a coletânea ‘Cinzas de sonhos desabam sobre mim’, do poeta Marlon Marcos. Quatro rios de um homem em confronto com as suas íntimas profecias, tomado de aromas sexuais e marítimos, desafiado pela insônia e pela linguagem. ‘O outro que eu fui/ me deixa agora/ enternecer de fins…’, ele expõe no Livro da Miragem, antes de nos informar no Livro Secreto: ‘Reflete no intervalo de mim, / tudo que poderia saciar-me’. Nele se manifesta um ascetismo poético, uma crença na ascendência mágica da poesia sobre todas as expressões do humano, aceitando o risco de encarná-la em sua ética pessoal. Marlon é dos poetas insones. Não é fácil dormir. Insone é o seu mestre Caetano Veloso, de cuja canção ‘Falou, amizade’ ele extrai o título maior da obra, dedicando-lhe ainda o poema ‘Sem ver’. Estou seguro que esta coletânea ressalta os caminhos da poesia de Marlon Marcos até este momento. Miragem, insônia, segredo e Azul”.

O escritor, membro da Academia de Letras da Bahia, Aleilton Fonseca, discorre no prefácio do Livro ÍNTIMO VESÚVIO: “Este livro [Íntimo Vesúvio] é um jogo lírico divinatório. Os poemas são peças que se agrupam, segundo a natureza de sua concepção e visibilidade, como: milagre, matéria, sonho. A poesia é uma escrita inexata de avisos e fundação do verbo, num ritual que o poeta realiza ‘com a mão direita tocando o impossível’, para instaurar a vida do momento como marcas nas memórias: Foi num susto que Camila virou pássaro / Sem que não mais a pudéssemos tocar, fez ninho em nossas memórias. A percepção do social permeia todo o conjunto de textos, e se torna mais aguda em alguns poemas decisivos como ilações e compromissos assumidos pelo poeta. Ele encontra-se em plena atividade de instauração dos sentidos de seu mundo de vivências, como imposição de um desejo inescapável: Mantenho o verso / o verbo sedento / a insaciável palavra sangrenta de desejo reverso. (…). Para Wesley Correia, a poesia é um ritual iniciático que dissipa as sombras, reúne os elementos e instaura as epifanias. Em cada poema, a palavra entra em combustão, pois borbulha em línguas de fogo, caldo de sentidos, abrangências e incandescências de uma explosão de sentidos que o poeta prospecta e deixa fluir, expondo a céu aberto o magma poético do seu Íntimo Vesúvio.”

Como identidade física, a Série apresenta formato de publicação 2 em 1, um único volume que reúne os dois títulos, o que fortalece a ideia de conjunção da Série. De um lado uma capa e livro a que corresponde, inverte-se o lado, nova capa e livro. Assim, pretende-se também estabelecer pontes entre os públicos leitores de cada poeta, ao adquirir o exemplar por interesse em uma obra, aprecia-se as criações de outro poeta.

Com o pré-lançamento que ocorreu na Festa Literária de Cachoeira (Flica), em outubro, e o lançamento em Salvador no último mês do ano, abrem-se os caminhos para os novos encontros na Duo Poético em 2018.

SOBRE OS AUTORES

Marlon Marcos é poeta e professor. Formado em História e Jornalismo, e doutor em Antropologia. Pesquisa as religiões de matrizes africanas, a Música Popular Brasileira em suas feições de identidade e alteridade, e a Literatura no Brasil. 

Como poeta, define-se cambaleante entre a irregular forma do dizer e o profundo conteúdo que o habita e o perfila em sua trajetória existencial. Sua poesia nasce da audição. Da canção popular. Da voz e dos poemas musicados de Caetano Veloso – senhor absoluto dos seus aprendizados nascentes e crepusculares.

Marlon é alguém que tem a palavra como norte e tela dos seus sentimentos. Que, às vezes, fala do centro da academia para negá-la. Um ser clariceano, pesado e leve, vinculado a uma baianidade amadiana, sim, mas centrado em sua naturalidade negro-mestiça que o construiu como sensibilidade e voz solitária e destoante da normalidade que engana a todo mundo.

É autor de Memórias do Mar (2013), Poemar (Kawo-Kabiyesile, 2015) e Oyá Bethânia: os mitos de um Orixá nos ritos de uma estrela (Pinaúna, 2016). Atualmente, professor adjunto da Unilab.

Wesley Correia nasceu em 21 de Outubro de 1980, na cidade de Cruz das Almas, no Recôncavo baiano. Graduou-se em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS (2002), onde também cursou Mestrado em Literatura e Diversidade Cultural (2005). É doutor em Estudos Étnicos e Africanos pela Universidade Federal da Bahia – UFBA (2015), tendo realizado Doutorado Sandwich na Universidade de Lisboa – UL (2014). É autor de Pausa para um beijo e outros poemas (Ed. Nova Civilização, 2006) e Deus é negro (Ed. Pinaúna, 2013), além dos inéditos O coração de Oxun e outros amores (Contos) e Intempéries (Romance).

Como poeta e ficcionista tem participado de antologias publicadas no país e como ensaísta tem publicado títulos de crítica literária e cultural em revistas especializadas. Foi professor de Literatura Brasileira na Universidade do Estado da Bahia – UNEB e esteve representando o Brasil, ao lado de outros poetas, no XI Festival Latino-americano (Colômbia, 2007). Em 2009, integrou a coletânea Carlos Drummond de Andrade, produzida pela Fundação SESC-DF, com o poema Estudo sobre café. Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – IFBA, onde coordena o Curso de Pós-graduação em Estudos Étnicos e Raciais: Identidades e representação – CPgEER. Seus poemas foram traduzidos para o inglês, espanhol e romeno.

SERVIÇO:

O quê? Lançamento da Série Duo Poético e do seu primeiro volume com os livros “Cinzas de Sonho de Desabam sobre Mim”, de Marlon Marcos e “Íntimo Vesúvio, de Wesley Correia

Quando? 16/12/2017, Às 15h

Onde? Café da Saladearte Cinema do Museu, Museu Geológico, Corredor da Vitória, Salvador, Bahia

Editora: Pinaúna Editora

Preço do exemplar: R$ 35,00

Comentários

Comentários