CAPÍTULO X | A cada dia a vida nos desafia a superar obstáculos, enfrentar nossas fraquezas e os nossos limites. Às vezes temos a impressão de que jamais conseguiremos dar conta das adversidades que a vida nos apronta. Isso acontece porque nos esquecemos do poder interior que nos é inerente, ele sempre existiu mais ao longo do nosso crescimento foi sendo sufocado pelo nosso pensar de que por vezes somos incapazes de vencer as nossas próprias limitações.

Sair da passividade e ser ativo só pode ser possível se ainda existir em nós uma parcela mínima de confiança e fé. Essa pequena parcela de confiança e fé nos impulsionará a enfrentar o que for preciso para sair do estado de sofrimento e descrença.

Nessa linha, dou continuidade aos relatos de uma sertaneja capítulo X, intitulado “O DIFÍCIL NOS TORNA ATIVO”

Atualmente vivencio os momentos mais difícil do meu longo caminhar com o câncer. Sem piegas, afirmo, o câncer quer me vencer de qualquer jeito.

img_2774Após trinta ciclos de quimioterapia intravenosa e oral “ele” continua persistindo, limitando-me.

Aparentemente tudo estava bem, mesmo vivenciando minhas pequenas limitações tudo parecia bem. Engano meu, lamentavelmente, o mal estava em recidiva. Discretamente dores e incômodos começaram a acontecer em meu corpo, dores que eu não sentia antes, muitas cólicas, dores no cóccix e nas panturrilhas das pernas, o intestino muito mais preso. Não fiquei assustada, acreditei que eram as consequências do longo tratamento quimioterápico.Entretanto,  as dores aumentaram, não são dores agudas são dores doloridas lentas continuadas, me deixam desconfortáveis, sofrida. Para obter conforto tomo diariamente medicação para aliviar estas  dores. Lembrando que durante essa minha longa batalha contra o câncer raramente tomei remédio pra dores, pois dificilmente as sentia.

Parece que essa recidiva é forte, agora as dores intensificaram-se, quando o intestino solta ou quando está preso sinto dores na região do cólon uma pressão insuportável no reto, vivo praticamente dependente do banheiro e esta situação me priva de viver as coisas boas que a vida me oferece, ou seja, evito ir para as casas dos meus filhos porque fico com vergonha de ir ao banheiro a todo o momento, pois tenho que seguir o fluxo do meu corpo. Não posso fazer passeios para me distrair porque tenho medo de sentir necessidade de ir ao banheiro. Sinto dores e muito cansaço nas pernas, vivo constantemente deitada durante o dia e minhas noites são triste e desconfortáveis

Por solicitação medica realizei o exame de colonoscopia o qual mostrou uma lesão abaixo do cólon medindo mais ou menos 5 cm, a biopsia confirmou, uma recidiva do câncer.

Como viver e vencer um mal que persiste em enfraquecer meu corpo destruir minha coragem abalar a minha fé?

Percebe, tudo me levar à desistência, porém não desisto, continuarei minha luta fundamentada e fortalecida na  fé na bondade de Deus , no meu querer imensurável e certamente vencerei.

Continuarei a ser o que sou como sou, otimista, alegre, amo a vida, tenho muito orgulho de mim mesma, as dificuldades não me abatem, venço meus obstáculos com determinação.

Para avaliar a dimensão da recidiva os médicos que acompanham o meu tratamento solicitaram exames computadorizados os resultados darão um norte preciso, ou seja, a realização de outra cirurgia, como procederá esta cirurgia, e a provável mudança da medicação.

Estou no aguardo, obtendo força na fraqueza, mantendo firme a minha fé.

Hoje estou muito mais limitada, não posso trabalhar. Gosto muito de fazer mercado, passear e fazer compras no shopping sou teimosa e vou, porém quando volto pra casa estou muito cansada e adolorada. Tomo banho e vou direto para a cama e choro, não choro por “coitadice”, choro porque quero viver saudável. Em seguida, seco as lágrimas com coragem, com a fortaleza que Deus me presenteou e sinto-me capaz.

Não desisto, tenho em mim um orgulho imenso de ser guerreira e determinada, nunca houve nem haverá em mim um pensar desistente.

Pensa que desisti da faculdade? Jamais! Este ano serei graduada em pedagogia com merecimentos e méritos.

Meu cotidiano acadêmico agora é assim: se estou me sentindo bem vou para a faculdade feliz, se estou sentindo dores tomo a medicação que me proporciona alivio e vou para a faculdade feliz, se estou muito mal não vou  faço minhas atividades em casa e envio por e-mail para os docentes. Sou motivos de orgulho e exemplo bom para muitos e isso me deixa imensamente feliz.

Está difícil viver as limitações que estou vivenciando atualmente? Sim, está muito difícil. Porém vivo-as com dignidade e agradecimento porque Deus estar sempre comigo, minha família e meus queridos amigos, impulsionando-me a seguir em frente a não duvidar. E assim mantenho-me ativa.

Entende, eu poderia me questionar: pra que continuar o curso de pedagogia? Pra que formatura se nem posso exercer a profissão? Entretanto, não me permito esta linha de questionamento porque tenho certeza que vencerei, voltarei a ministrar aulas, serei coordenadora, diretora e até mesmo gestora. Meu pensar é grande o meu querer é maior ainda.

“Deus encha-me com teu amor com tua paz!

Obrigado por fortalecer-me porque nenhum tormento é maior que a força que o senhor me concede.

Eu agradeço, pois não me abandona no meio do meu sofrimento.

Sei que o Senhor recolhe todas as minhas lágrimas e me prepara para a ajuda que me fará vencer”

Continua…

*EM MEMÓRIA: Nossa guerreira, a Pró Zu, descansou no último dia 05 de janeiro, após longos 3 anos de luta contra o câncer! Os relatos que ela escreveu continuarão sendo publicados. O capítulo final, contudo, será escrito de forma especial e em momento oportuno pelo filho dela, nosso diretor de Conteúdo, Cadu Freitas. Nossos sentimentos a todos os familiares e amigos de Josefa Zuleide Reis de Freitas, nossa eterna Pró Zu!

Comentários

Comentários