Série revivendo boas histórias da estrada! Nessas férias de janeiro, o Bahia na Lupa rememora reportagens antigas de alguns roteiros de viagem por nosso imenso território baiano. Gente, lugares, comidas, costumes…

Não é um dos bares que concorrem ao ‘Comida di Boteco’, nem está no badalado roteiro gastronômico da capital baiana. Sequer está na lista dos bares e restaurantes alternativos da Soterópolis… O restaurante Galinha Caipira tem como endereço fixo o Buris, no município de Teolândia, às margens da temida BR 101. Sucesso naquela lonjura, o estabelecimento serve a melhor e mais disputada galinha da terra da região do Baixo Sul baiano.

Palavra de quem apreciou esta iguaria típica do interior baiano. O ritual é quase sacro e, após o pedido, não leva cinco minutos para chegar… Primeiro vem os pratos e talheres – Ah! E as tigelinhas para quem gosta de mordiscar os ossinhos da penosa, acompanhadas de um cheiroso molho lambão. Pimentas colhidas do pé também acompanham o prato.

Foto: Reprodução Web

Foto: Reprodução Web

Depois, vem o imponente pirão! Se provar antes de chegar os demais itens, corre o risco de não comer mais nada. O resultado da mistura de farinha de mandioca com o caldo da galinha tem sabor irresistível. Na sequência, chegam feijão fradinho, arroz branco, salada de repolho picado e uma enorme tigela com todas as partes da galinha. Todas, de pescoço a pés, exceto a cabeça.

O lugar é aconchegante e a comida é sensacional | Foto: Cadu Freitas/BnL

O lugar é aconchegante e a comida é sensacional | Foto: Cadu Freitas/BnL

Pés de jaca, cacau e laranja ajudam a harmonizar o ambiente que tem como vista o zigue zague dos veículos que cruzam a rodovia. Você pode até já ter provado uma boa galinha caipira, já provei várias, mas essa de Teolândia é insuperável.

Foto: Reprodução Web

Foto: Reprodução Web

O segredo da receita? Angélica, dona do estabelecimento, e sua esperta filha Ayla, de 11 anos, só revelam a autoria, a “fórmula” jamais: “É receita da vovó”!

O vai e vem dos carros e caminhões na BR 101 compõem o cenário do lugar | Foto: Cadu Freitas/BnL

O vai e vem dos carros e caminhões na BR 101 compõem o cenário do lugar | Foto: Cadu Freitas/BnL

Caso passe por essas bandas e a fome esteja a lhe rondar, não titubeie, trate logo de parar e apreciar essa galinha da terra, promessa de não se arrepender e ainda querer voltar. Só não vai poder tomar uma cervejinha. Religiosamente eles cumprem a lei do “se vai dirigir, não beba” – são os donos evangélicos!

 

Comentários

Comentários