O Bahia na Lupa é um veículo de comunicação que se pretende diferenciado, seja no conteúdo jornalístico ou no enquadramento das pautas. Um projeto que já se mostra distinto na sua concepção: é um site de reportagens.

“Queremos provar que, assim como a poesia, o texto jornalístico não precisa de pressa. Na verdade, como já mostraram gigantes do novo jornalismo – Truman Capote, Gay Talese, John Hersey -, buscamos um flerte intenso com a literatura em nossos textos”, afirma Carlos Eduardo Freitas, jornalista do Bahia na Lupa.

Criado por um grupo de jovens jornalistas e profissionais de marketing e mídias sociais, o projeto, inserido nas mais atuais tendências da comunicação digital, se propõe estabelecer um olhar amplificado sobre a Bahia.

Usando a alegoria metafórica de “uma lupa de aumento” para identificar detalhes, minúcias, riquezas – culturais, naturais, religiosas, históricas e identitárias -, do estado e do seu povo, o Bahia na Lupa quer derrubar estereótipos jornalísticos.

“Entre as nossas propostas enfatizo a ideia de dar mais espaço as reportagens, crônicas e até mesmo a poesia, gêneros de texto cada vez mais esquecidos nos meios de comunicação atuais, mas que têm uma capacidade ímpar de atrair a leitura e, ao mesmo tempo, dialogar com o jornalismo factual”, destaca o jornalista Murilo Gitel, outro integrante da equipe.

Sem pressa – Apuração superficial, “control C, control V” são expressões que não farão parte da linha editorial deste projeto. O tempo, agravante para a velocidade de produção de conteúdo factual nas redações, não será um problema. O novo site se portará como uma “revista web”, com reportagens bem elaboradas.

Para o jornalista Danilo Reis, que também faz parte do projeto, a interação entre uma linguagem jornalística mais poética e as novas tendências do jornalismo digital será uma marca de destaque: “Teremos uma ‘lupa’ literário-tecnológica”.

“Apostamos em uma plataforma de software livre juntamente com layout arrojado e responsivo, possibilitando a visualização em diversos dispositivos, sem comprometer o que é mais importante: o conteúdo”, pontua André Fernandes, analista de Marketing. Ele explica ainda que a equipe vai poder atualizar o site por meio de dispositivos móveis, dinamizando sobretudo o conteúdo exclusivo para redes sociais.

Colunistas darão suporte ao conteúdo opinativo do site, já que o Bahia na Lupa procura rever o próprio fazer jornalístico, por vezes engessado, que pouco ousa em criatividade, prosa e poesia.