Clássico

Volta aos gramados. O Carnaval de Salvador sai de cena nesta quarta-feira de Cinzas e abre alas para o retorno do futebol. No estádio de Pituaçu, o Galícia recebe o Bahia às 21h50 em mais uma edição do “Clássico das Cores” pelo Baianão. Vale lembrar que o “demolidor de campeões” derrotou o tricolor em plena Fonte Nova, por 2 a 1, na partida de estreia da segunda fase, fato que quase culminou na demissão do técnico Marquinhos Santos. Ambos os times não tiveram folga durante os festejos de Momo e prometem realizar um jogo repleto de emoções para o torcedor que comparecer.

Ofensivo

Mudanças no time. Atual líder do grupo 3, porém com os mesmos cinco pontos do segundo e terceiro colocados (Juazeirense e Catuense, respectivamente), o Bahia precisa vencer hoje para não correr muito risco nas três rodadas finais da segunda fase, que incluem o Vitória da Conquista fora e o Ba-Vi na Arena Fonte Nova. Por essa razão, o técnico Marquinhos promove um time teoricamente mais ofensivo em relação aos últimos jogos, com os ingressos do lateral Galhardo no lugar de Madson e do meia Talisca, que substitui o volante Uelliton. Maxi, lesionado com lesão na coxa, dará lugar a Rafinha.

Pescoço

O Galícia é carne de pescoço. Invicto há nove jogos, o granadeiro azulino costuma dar muita dor de cabeça ao Bahia. Em 1995, por exemplo, o demolidor venceu o esquadrão cinco vezes em seis jogos (houve um empate) nesse mesmo estádio de Pituaçu, em um período em que a Fonte Nova passava por reforma. De volta à elite, em 2014, o time do técnico Ricardo Silva tornou a aprontar sobre o tricolor. Em caso de nova vitória hoje, o time da Cruz de Santiago ‘dormirá’ na liderança do grupo 2, com 11 pontos, e secará o leão diante do Serrano na quinta-feira para seguir na ponta.

Volantes

Convicção ou necessidade? O Vitória que recebe o Serrano nesta quinta-feira (6), às 19h30, no estádio de Pituaçu, deve jogar com três volantes: Marcelo, José Wellison e Cáceres, além de três atacantes: William Henrique, Marquinhos e Dinei. Não gosto, sinceramente, desse esquema, porque ele carece de meias articuladores capazes de ligarem o meio campo ao ataque. Por outro lado, o técnico Ney Franco não conta com Escudero (lesionado) e Hugo, que recém foi contratado para esta função. Juan, passível de ser improvisado, é dúvida para a partida. O certo é que o leão precisa de ao menos mais um reforço para a posição.

Copa

A hora é agora. Para boa parte dos jogadores da Seleção Brasileira que entram em campo hoje a tarde, diante da África do Sul, a partida nada mais será do que um amistoso. Mas o mesmo não pode se dizer em relação ao lateral-direito Rafinha e o volante Fernandinho. Surpresas da última lista do técnico Felipão, eles terão a chance de mostrar que merecem estar no grupo que disputará a Copa do Mundo em junho, tornando-se as melhores opções para substituir os prováveis titulares dos seus setores: Daniel Alves (no caso de Rafinha), Luiz Gustavo e Paulinho (no caso de Fernandinho).

Pimentinha

O Souza contratado pelo Vitória é aquele que já foi artilheiro do Brasileirão ou aquele que não deixou saudades no Bahia?

Foto: Marcelo Oliveira/VídeoPlay Esporte

Comentários

Comentários