Recomeço

Estou entre aqueles que defendem a realização da final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira (7), e da última rodada do Campeonato Brasileiro, no domingo (11), passada a tragédia que envolveu o voo da Chapecoense e toda a comoção envolvida. Penso que o desastre aéreo que aplicou um golpe em todos nós, na última semana, deva ser lembrado sempre com o máximo de homenagens possível, mas também é verdade que, passados esses dias de luto, embora o clima não seja o ideal, as competições precisam ser respeitadas, ou como diz o samba, “o show tem que continuar”.

Encaminhado

O Grêmio encaminhou o título da Copa do Brasil, diante do Atlético (MG), quando derrotou os mineiros por 2 a 0, na partida de ida, no Mineirão. Foi uma vitória maiúscula, de um time maduro, formado pelo técnico Roger Machado e agora capitaneado por Renato Gaúcho. O tricolor tem Luan como grande destaque individual, mas chama muito mais a atenção por seu senso de coletividade e obediência tática. Contudo, no futebol não se ganha de véspera. O galo mineiro tem um elenco de respeito e jogadores diferenciados do meio para a frente, que farão de tudo para reverter a vantagem em Porto Alegre. É difícil, mas não impossível.

Tranquilidade

O Vitória tem menos de 1% de chance de rebaixamento, segundo os matemáticos. Ter vencido o Coritiba no Paraná, em sua última jornada, dá ao leão a possibilidade de empatar com o Palmeiras, no domingo, para se manter na elite do futebol brasileiro em 2017. É possível manter-se na primeira divisão até mesmo com uma derrota em casa, caso o Internacional não tire o saldo de gols diante do Fluminense, no Rio, e o Sport tropece em casa no confronto com o Figueirense. Mas é claro que o time de Argel Fucks quer encerrar com chave de ouro, vencendo o campeão no Manoel Barradas.

Homenagem

Ganha força a informação de que o Vitória planeja batizar seu novo centro de treinamento, localizado na região do estacionamento do Barradão, com o nome de Arthur Maia, jogador revelado no clube e que está entre as vítimas dessa terrível tragédia envolvendo a Chapecoense, 20 profissionais de imprensa e tripulantes do voo da Lamia. Caso a homenagem venha a ser confirmada, será uma grande bola dentro da diretoria rubro-negra, uma vez que a estrutura terá as categorias de base como foco – exatamente de onde o jovem jogador foi formado.

Preparação

O modelo de gestão da Chapecoense, aliás, pode servir de inspiração para o Bahia, que vai lutar para permanecer na primeira divisão no ano que vem. Para quem não tem dinheiro de sobra é fundamental uma política de contratação assertiva, com ênfase em jogadores bons e baratos que estejam disponíveis no mercado. Não é uma tarefa fácil, convenhamos, mas é o que se apresenta. Ao mesmo tempo, promover os bons valores das divisões de base é muito importante. O técnico vencedor do acesso tricolor, Guto Ferreira, aliás, é especialista no assunto desde os tempos em que trabalhava no Internacional.

Galícia

A política no Galícia encontra-se em estado de ebulição. Na quarta-feira haverá eleição no clube, quando Manolo Muiños deverá ser aclamado presidente (pois só tem uma chapa). O ex-presidente Dario Rêgo foi afastado recentemente do cargo pelo Conselho Deliberativo, por não apresentar as contas em tempo hábil. Rêgo, por sua vez, contesta, alegando que Muiños, seu ex-diretor financeiro, está com boa parte das contas em mãos, e voltou-se contra ele, o que inviabiliza a prestação. O caso está na Justiça. Para apimentar a moqueca (ou seria a paella?), o Campeonato Baiano já está aí na porta, marcado para o final de janeiro.

Pimentinha

O Rogério Ceni vai durar quanto tempo como técnico do São Paulo?

Comentários

Comentários