Tá com dor de amor? Vá viajar! Viajar tem o poder de transformação, calmaria, fuga, solução. É um remédio que realmente funciona, vá por mim!

Eu embarquei para Pirenópolis–GO e não me arrependi.  Oh cidade graciosa, de pessoas queridas e receptivas. Caminhar pelas ruas de Pire é respirar história e se encantar com a beleza das casas antigas, dos restaurantes a luz de velas. Sim, ela é super romântica – curar dor de amor numa cidade cheia de romantismo parece não combinar, mas pra mim super funcionou.

Cachoeira da Pedreira

Cachoeira da Pedreira

Em cada mergulho nas cachús você deixa lá pensamentos e sentimentos indesejáveis.  São lindas e de fácil acesso, para quem não curte caminhada é uma excelente opção.  Você chega de carro e uns 500m já tem uma cachoeira in-crí-vel. Todas são em propriedades particulares e por isso são pagas.  A maioria é próxima da cidade.  Em três dias deu para aproveitar bastante.

Cachoeira, ou cachú, Bonsucesso

Cachoeira, ou cachú, Bonsucesso

No dia que cheguei fui logo conhecer a Cachoeira Bonsucesso, ela fica dentro de uma fazenda. Você estaciona o carro lá mesmo – galos, galinhas e cavalos fazem a segurança dos veículos (risis). Uma trilha, cinco cachús: Açude, Landi, Palmito, Pedreira,  Bonsucesso e Lagoa Azul! Cada uma com sua beleza, mas a última é a cereja do bolo. Custa R$ 20 a entrada.

A natureza é marca impressionante em Pire

A natureza é marca impressionante em Pire

Visitamos o Museu de Arte Sacra riquíssima em objetos coloniais e da Igreja do Rosário dos Pretos que foi destruída.

Museu da cidadezinha. | Foto: Reprodução Web

Museu da cidadezinha. | Foto: Reprodução Web

No segundo dia fomos até a Reserva Ecológica Vargem Grande, 11km de Piri, estrada de barro. Lá tem a encantadora Cachoeira São Lazaro, uma das cachús mais lindas que já conheci. Ela é tão maravilhosa que passamos a tarde inteira lá e esquecemos que tinha mais uma para conhecer. Ela estava com “rastros” de tromba d’agua, acredito que tenha acontecido recentemente (esse é um cuidado que se deve ter com cachoeiras. Choveu, vai embora! Pode ter tromba d’água!).

Cachoeira São Lazaro

Cachoeira São Lazaro

Depois de longas horas de contemplação e acreditando que já tinha visto todas as belezas incríveis de Piri, seguimos para a Cachoeira Santa Maria. Uma praia no meio do mato!  Uma extensão de areia branca, uma enorme queda de água cristalina. As fotos não expressam nem a metade da beleza!

Mais uma preciosidade do local

Mais uma preciosidade do local

A noite em Pire é bem tranquila, pelo menos foi o que presenciei. O comércio na cidade é bem forte. Demos um passeio fim de tarde e conhecemos muitas lojas de artesanatos locais, tem coisa bonita para levar de lembrança. Lojas de pedrarias e pratas tem de montão com preços em conta. Para sentar e degustar um bom vinho e uma comida típica escolhemos o restaurante Lua Cheia, ele fica na rua principal e mais charmosa de Pire.

Restaurantes na charmosa Rua do Rosário. | Foto: Reprodução Web

Restaurantes na charmosa Rua do Rosário. | Foto: Reprodução Web

 

Lá você pode saborear uma maravilhosa “panelinha” – galinha cozida com arroz coberto de queijo mussarela e piqui (fruta da região). Simplesmente maravilhoso. O piqui é só para dar um aroma, não se come, é muito forte. Tem um restaurante mega famoso lá chamado ‘Dona Cida’, minha prima que me acompanhou na viagem indica.

Parei para apreciar a beleza do lugar

Parei para apreciar a beleza do lugar

No último dia, ficamos na dúvida para onde iríamos! Tínhamos que voltar à Brasília, mas na vontade de mais um banho nas águas cristalinas. Todas as trilhas você vai encontrar animais: aves andando no meio do caminho, cavalo, vaca, macaco…  Pedimos ajuda “aos universitários” e  nos sugeriram a Cachoeira do Abade. Estava cheia de visitantes, mas a beleza supre qualquer coisa.

Cachú do Abade

Cachú do Abade

O estômago roncou e resolvemos almoçar ali mesmo. Fomos a um restaurante vegano chamado ‘Maria do Céu’! Nossa! Que tempero, que sabor! O cantinho é uma graça e você é super bem atendido. Tem entrada (à vontade), o prato principal do dia e as sobremesas, de misturas inusitadas  “a lá Bela Gil”, uma explosão de sabores.

restaurante vegano

Minha bagagem voltou carregada de boas energias e com um mega toque de quero mais. A Cia da viagem foi fundamental. Obrigada, prima, pela sua disponibilidade e graciosidade!

Comentários

Comentários