Série revivendo boas histórias da estrada! Nessas férias de janeiro, o Bahia na Lupa rememora reportagens antigas de alguns roteiros de viagem por nosso imenso território baiano. Gente, lugares, comidas, costumes…

O verde esplendoroso da vegetação local alertava para o bem que o cultivo do cacau ocasionou para a flora do Baixo Sul da Bahia. Mesmo com a famigerada praga da vassoura-de-bruxa, que por décadas assombra os produtores locais, Nova Ibiá, antiga “Tabuleiro”, cidadezinha de pouco mais de 6 mil habitantes, reserva para os viajantes belas paisagens, ornadas com ruínas de antigas fazendas de cacau. O Bahia na Lupa pegou a estrada e foi conhecer o lugar, em mais um ‘Pé na Estrada’.

De longe, a paisagem natural se mistura com as ruínas das antigas fazendas de cacau. | Foto: Cadu Freitas/BnL

De longe, a paisagem natural se mistura com as ruínas das antigas fazendas de cacau. | Foto: Cadu Freitas/BnL

O município baiano surgiu do desmembramento do vizinho Gandu, mas a ligação entre as duas cidades, tanto no comércio quanto nos costumes, continua forte. Nova Ibiá está encravada, como dizem os moradores e pequenos produtores rurais dali, na região cacaueira da Bahia.

O cenário lembra cidades cenográficas de telenovelas de época. | Foto: Cadu Freitas/BnL

O cenário lembra cidades cenográficas de telenovelas de época. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Mas, a origem do local é remota. Se deu no deslocamento de tropeiros mascates, oriundos do Porto de Ituberá, o velho “Santarém”, como narram os livros históricos da biblioteca local. Lá, às margens do Rio Gandu, a tropa de mascates parava para repousar e começou a criar um pequeno vilarejo.

Bucólico, o local é ideal para quem busca sossego. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Bucólico, o local é ideal para quem busca sossego. | Foto: Cadu Freitas/BnL

O nome, “Nova Ibiá”, é de origem indígena. Mas o lugarejo já se chamou ‘Tabuleiro’, ‘Pé de Serra de Gandu’ e ‘Vila Lisboa’. A paisagem, além da exuberante e preservada mata, é rodeada de serras.

A beleza do lugar se espalha ao longo da rodovia. | Foto: Cadu Freitas/BnL

A beleza do lugar se espalha ao longo da rodovia. | Foto: Cadu Freitas/BnL

O cacau, fruto originário da Amazônia, teve plantio iniciado na Fazenda Gavião, propriedade de Manoel Cirilo de Carvalho.

O povo nova ibiaense é famoso por ser ateu, mas de 60% da população, segundo o IBGE. | Foto: Cadu Freitas/BnL

O povo nova ibiaense é famoso por ser ateu, mas de 60% da população, segundo o IBGE. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Outro notório coronel da região, Pantaleão, ostentava fama não pelo cacau, mas por ser “perverso”, como recordam antigos moradores.

As ruínas de Pantaleão... | Foto: Cadu Freitas/BnL

As ruínas de Pantaleão… | Foto: Cadu Freitas/BnL

De sua estirpe, porém, sobraram apenas as ruínas da velha fazenda.

Comentários

Comentários