Não acredite que alguém está feliz só porque você viu suas fotos nas redes sociais e parecia estar tudo bem. Lembre-se que a vida virtual não tolera tristeza e nem mendigos de amor. Se quiser saber como alguém está, se você realmente se importa, pergunte, ligue, mande uma mensagem, vá ao seu encontro. Só não se satisfaça com os retratos cheios de sorrisos que aparecem em sua timeline.

Não esqueça: o palhaço também sorri. É o seu ofício.

Mas quem o vê chorar depois que o picadeiro apaga as luzes? A plateia dorme enquanto o palhaço chora ou a plateia está tão distraída enquanto o palhaço desaba em fingimentos durante o espetáculo bem feito na frente de todos? Quem se importa? Qual a maquiagem perfeita? Quem está com ele quando a escuridão domina? Não é justo ser tão descuidado com quem tirou algumas horas do dia, um dia, pra se preocupar com você. Ou com quem, um dia, já te amou tanto a ponto de te fazer se sentir imbatível.

Observe mais. Você não está tão ocupado assim. Você nunca está. Sempre há um tempo sobrando. Sempre há uma hora a mais, ou alguns minutos. Anote no caderno, ponha na notificação do celular, cole na geladeira, lembre-se de não só amar, mas declarar que se ama. Não deixe o amor sufocar numa gaveta de seu corpo, preso em qualquer costela ganhando o mofo dos amargos.

O amor não demora. Não permita que alguém se perca porque você não o olhou com tudo que podia.

 

Foto:  Igor Thomas

 

 

Comentários

Comentários