Iniciativa da consultoria de inovação em negócios Gauge, a pesquisa inédita traça o perfil dos usuários brasileiros de redes sociais durante a Copa e traz dados importantes para o posicionamento de marca das empresas que contam com estrelas do mundo do futebol nacional…

Nunca antes uma copa do mundo foi tão comentada nas redes sociais. Pensando nisso, a Gauge, consultoria especializada em pesquisa, estratégia e performance digital, divulga um estudo inédito que investiga a percepção dos usuários brasileiros nas redes sociais antes, durante e logo após os jogos do Brasil. Com uma análise crítica quantitativa e qualitativa, o estudo #Tátendocopa revela o perfil de quem está acompanhando a performance dos jogadores brasileiros no Facebook e Twitter, assim como os jogadores mais citados em palpites, críticas, elogios e comemorações.

Muito além de revelar curiosidades sobre o que e quem está fazendo sucesso neste mundial, a pesquisa serve como embasamento para as empresas repensarem seus investimentos em marketing e as formas de aumentar o engajamento dos consumidores com suas marcas. “Há resultados surpreendentes sobre como os usuários de redes sociais vêem os jogadores e se identificam com eles, assim como sobre os destaques da seleção. Alguns jogadores, como, por exemplo, o zagueiro David Luiz, que são foco frequente da cobertura da imprensa e contam com diversos patrocínios de marcas, não figuraram nem entre os cinco mais citados nas redes sociais no período analisado. Por outro lado, jogadores muito citados, como o Hulk, possuem poucos patrocinadores”, observa Dante Calligaris, diretor-executivo da Gauge.

Infográfico: Gauge

Infográfico: Gauge

Confira abaixo os destaques da pesquisa, que foi realizada durante a fase de grupos e oitavas de final com postagens extraídas do Facebook e Twitter:

#Curtindoacopa

Os protestos e manifestações contra a realização da Copa ficaram em segundo plano nas redes sociais. O Mundial no Brasil não somente conquistou a imprensa nacional e internacional como também os usuários do Facebook e Twitter. As menções positivas no período representaram 50% do total, frente a 21% daquelas de caráter neutro e 29% de negativo.

#Nacionalismodelado

A pesquisa identificou os cinco principais perfis de torcedores nas redes nessa primeira fase do campeonato: Apaixonado (confiante, incentiva o time, perde a voz e se emociona com o jogo); Boleiro (entende de esquema tático, analisa o jogo e sempre tem palpites de substituições); Zé Graça (piadista, tudo é motivo para brincadeira para ele); Corneteiro (torcedor sem paciência, aquele que  pega no pé, espera gol já nos cinco minutos de jogo) e Tiete (homens e mulheres que só assistem o jogo por causa de um jogador lindo).

Apesar do perfil Apaixonado predominar nas redes no período (36% das citações), percebeu-se que a postura nacionalista é deixada de lado por muitos usuários nos momentos mais críticos da seleção.

“Na partida contra o México, em que o resultado foi zero a zero, o apoio desse perfil de usuário diminuiu. Os comentários nacionalistas reduziram 11% nesse jogo”, comenta Calligaris.

Infográfico: Gauge

Infográfico: Gauge

#Ninguémperdoaninguém 

A ironia tomou conta de grande parte dos torcedores brasileiros nas redes sociais. O perfil Zé Graça representou 19% dos usuários. 56% das piadas, no entanto, tiveram tom neutro, contra 29% negativo e 15% positivo.

O lateral Marcelo fez um gol contra na primeira partida do Brasil e foi alvo de grande parte das ironias. Seu melhor desempenho nas partidas seguintes não foi suficiente para fazer os usuários esquecerem sua falha. Ele foi lembrado em todas as partidas seguintes, inclusive na última (oitavas de final) em que conseguiu converter um pênalti.

Contudo, Marcelo não foi o mais citado no período. Mesmo muito admirado pela torcida brasileira, o atacante Neymar foi o maior alvo das ironias, lembrado em 27% das publicações de humor. A exposição midiática de seu relacionamento amoroso com a atriz Bruna Marquezine motivou muitas das brincadeiras do torcedor.

#Ondeestãoostietes?

A seleção está carente de estrelas na visão da torcida. O perfil Tiete foi o menos comum entre os usuários das redes, segundo a pesquisa, representando apenas 8% do total.

Entre os tietes, o jogador Hulk foi o que mais chamou a atenção, principalmente por conta da sua avantajada bunda. 83% dos comentários desse público faziam referência ao atleta.

Infográfico: Gauge

Infográfico: Gauge

Metodologia

Para a pesquisa #Tátendocopa, a Gauge utilizou seu sistema proprietário de monitoramento de redes sociais – como forma de garantir a assertividade na segmentação, mapeamento e captura – para coletar 2.012.854 menções no Facebook e Twitter de usuários de idades e perfis diversos 1 hora antes dos jogos, durante e 1 hora depois do término das partidas. A seleção foi feita a partir da busca de palavras pré-definidas. Foram estabelecidas cerca de 20 palavras para cada jogador e treinador que fazem parte do universo da seleção brasileira.

O tratamento dos dados foi feito considerando-se uma amostra para cada rede, com margem de erro de 5% e nível de segurança de 95%. A classificação da amostra abordou todos os assuntos que envolviam os momentos dos jogos.

“O diferencial do nosso estudo é contextualizar os dados quantitativos, analisando critica e individualmente o teor de cada postagem. Desta forma, conseguimos ir mais fundo no lado emocional do torcedor nas redes sociais e nas formas que ele se relaciona com a seleção e seus ídolos. São informações importantes para o posicionamento das marcas, especialmente nesse mercado do futebol, que se mostrou de um enorme alcance, e que atrai tantas empresas e iniciativas de marketing”, conclui o diretor-executivo da Gauge.

Comentários

Comentários