Estrela
Tem estrela o Bahia. Assim como já havia acontecido recentemente, diante do Sampaio Corrêa, o tricolor achou um gol salvador nos últimos segundos de jogo contra o Luverdense, no sábado, em Lucas do Rio Verde (MT), arrancou um empate fora de casa com o time do Mato Grosso e ficou mais perto do tão sonhado acesso à primeira divisão em 2017. Dessa vez quem resolveu a encrenca foi o atacante Edigar Junio, que balançou a rede duas vezes na etapa final e evitou que os comandados de Guto Ferreira retornassem a capital baiana com uma derrota na bagagem.

Caldeirão
A Fonte Nova tem que ferver. No próximo sábado (19), o Bahia recebe o quase rebaixado Bragantino, quando terá mais de 40 mil vozes a seu favor. A vitória pode determinar, já no próximo final de semana, o retorno tricolor à elite do futebol brasileiro, a depender de tropeços de Náutico e Londrina. Logicamente que a torcida vai incentivar o time do início ao fim, como sempre faz. Mas vale lembrar o sufoco que foi diante do lanterna Sampaio Corrêa: é preciso corresponder em campo, porque não há partida ganha de boca.

Pedreira
O Vitória tem uma pedreira na quinta-feira. Na Vila Belmiro, o time comandado pelo técnico Argel encara o vice-líder Santos, ainda com chance de ser campeão, o que significa que não haverá vida difícil no litoral paulista. Um empate longe dos seus domínios pode ser muito festejado, uma vez que na sequência o leão receberá o Figueirense – para outra grande decisão – no estádio Manoel Barradas. Em São Paulo, a tendência é que o rubro-negro comece no aguardo das iniciativas do adversário, saindo para o contra-ataque. É o que chamam hoje de “jogar por uma bola”.

Situação
O rubro-negro tem um campeonato a parte com o Inter. A quatro rodadas do término do Brasileirão 2016, o Vitória tem 39 pontos e ocupa a 16ª colocação na tabela – 1 ponto a mais que o Internacional, o time que abre a indesejada zona de rebaixamento. Também na quinta-feira, o colorado recebe a Ponte Preta em Porto Alegre. Convém ao leão, portanto, fazer a sua parte e, ao mesmo tempo, dar aquela velha secadinha para se manter longe do grupo da morte. A disputa promete muita emoção até o final.

Tite
Conhece o riscado. É inegável o mérito do técnico Tite nessa retomada da confiança e dos bons resultados na Seleção Brasileira. Desde que assumiu a amarelinha são cinco vitórias em cinco jogos, 100% de aproveitamento, o que inclui uma vitória expressiva, de 3 a 0, sobre a adversária histórica Argentina, com Messi e tudo. O treinador promoveu as entradas de Marcelo, Paulinho, Phillipe Coutinho e Gabriel Jesus no time, o que acrescentou mais consistência e poder ofensivo. Nesta terça-feira (15), o desafio é contra o Peru, fora de casa. A seleção peruana, vale lembrar, eliminou o Brasil na última Copa América, o que culminou na demissão de Dunga.

Pimentinha
Tem algum cardíaco assistindo aos jogos do Bahia?

Comentários

Comentários