Apresentações ocorrerão nos corredores da Casa d’A Outra, no Politeama…

Primeiro ato: se conhecem. Segundo: trocam afetos. Terceiro ato: apaixonam-se. Este é o momento da mostra cênica “Tudo que foi Trocado, fica guardado!”, resultado do Laboratório de Atores d’A Outra Companhia de Teatro, que fica em cartaz nos dias 04 e 05 de maio, às 20h, na Casa d’A Outra, no Politeama.

O espetáculo tem uma dramaturgia escrita a várias mãos, assinada por Luiz Antônio Sena Jr, que também dirige a montagem, trazendo confidências e revelações dos 21 atores que participam do Laboratório. Tudo que foi trocado, desde o processo de seleção e durante as aulas de dramaturgia, interpretação, corpo, voz, elementos visuais e música, foi com base na linha atual de pesquisa e criação d’A Outra, o Teatro Documentário.

Foto: Produção

Foto: Produção

Uma grande colcha de retalho, costurada por corpos que se tocam e história que se atravessam. “Esse trabalho mostra que todos somos atravessados por histórias dos outros que tornam-se nossas. Como se fôssemos uma mala que quando aberta nos revela para além de roupas, calçados e objetos, expondo a teia de pedacinhos formada todos que cruzaram nosso caminho”, explica Sena Jr..

Tudo que foi Trocado, fica guardado! é uma metáfora daquilo que carregamos e dos sonhos que desejamos alcançar. Das escolhas que provocam despedidas e encontros. Dos amores vividos e violências sofridas. Do conhecer e se reconhecer. Das lutas e das “brigas” sociais.

Foto: Produção

Foto: Produção

O público irá assistir histórias de atores que revelam a sua sexualidade e o processo de aceitação e respeito da família. O descobrir-se artista. “Deixa eu ser artista mãe?”, gritam eles aos deuses do teatro. As atrizes irão expor às violências sofridas dentro de casa e nas ruas. Elas também vão mostrar a mulher contemporânea e empoderada.

“São histórias muito delicadas, algumas sofridas. Temos atores muito jovens assim como pessoas mais maduras que traçaram outros caminhos até retornarem ao teatro. Nesse sentido, o espetáculo traz uma dramaturgia horizontal que mistura a biografia deles e o universo ficcional, para falar de afetos, perdas e ausências, mas principalmente do desejo de se fazer teatro”, conta Sena Jr.

Todos esses “pedaços de pano” são costurados por partituras corporais criadas em conjunto com Anderson Danttas e Israel Barreto, que fazem a direção de corpo do espetáculo. Outro recurso trazido ao espetáculo são as partituras musicais elaboradas por Roquildes Junior, diretor musical, que utiliza a música para sublinhar ou contrapor ou potencializar as cenas.

Foto: Produção

Foto: Produção

“O objetivo, mais do que resolver a mostra esteticamente do ponto de vista musical, é que eles tenham ferramentas para se desenrolarem em qualquer trabalho que desempenhem e que eles entendam que a música e o teatro estão muito unidos e que podem utilizar esses mecanismos a favor deles’, explica Roquildes Junior.

Desde 06 de março, quando iniciaram as aulas do Laboratório de Atores, os integrantes d’A Outra Companhia vem trabalhando com os atores da mesma forma que trabalham na criação de seus espetáculos. “Este é um espaço de formação que busca compartilhar um conjunto de ferramentas para que o ator saiba se virar em qualquer processo criativo”, explica Roquildes.

É importante ressaltar que esta mostra ainda não é o resultado do Laboratório de Atores que segue até julho quando A Outra Companhia estreará um espetáculo com estes alunos-atores. “Depois desse período inicial com a turma, resolvemos fechar o ciclo com esta montagem de modo que depois mergulhemos na encenação final que terá como base um texto inédito de Luiz Buraga (também da Companhia)”, revela Sena Jr.

Nesses dois meses de aulas, os atores tiveram semanalmente aulas de interpretação, dramaturgia, corpo, voz, musicalidade, produção e dramaturgia. O laboratório é mais uma ação do projeto ENXERGUE! sonhos, memórias e declarações d’A Outra Companhia, selecionado pelo Edital de Apoio a Grupos e Coletivos Culturais do Fundo de Cultura do Estado da Bahia de 2016.

Serviço

O quê: “Tudo que foi trocado, fica guardado! – mostra cênica resultado do Laboratório de Atores d’A Outra Companhia de Teatro

Quando: 04 e 05 de maio, às 20h

Onde: Casa d’A Outra – Rua Politeama de Cima, 114, Ed Centro Comercial Politeama (Politeama)

Quanto: Pague Quanto Puder

Comentários

Comentários