A série revivendo boas histórias da estrada continua neste mês de fevereiro. O Bahia na Lupa rememora reportagens antigas de alguns roteiros de viagem por nosso imenso território baiano. Gente, lugares, comidas, costumes…

Nesse tempinho chuvoso que chegou à Bahia, nos últimos dias, lembrando aquele clima gostoso do São João, tive que sacar mais uma receita sertaneja para a série ‘Delícias do Sertão’. Para quem, assim como esse jornalista nordestino que vos escreve, é apaixonado por cuscuz, aqui vai uma dica para variar: meu inédito ‘Cuscuz de Forno’.

O sabor deste cuscuz de forno é surpreendente. Se aventure em reproduzi-lo. | Foto: Cadu Freitas/BnL

O sabor deste cuscuz de forno é surpreendente. Se aventure a reproduzi-lo. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Um segundo! Recordo que na infância comia cuscuz quase todos os dias, no jantar, as vezes até com uma porção de feijão de caldo, com bastante charque, sob a chancela de qualidade do meu falecido avô materno, Seu Zé do Mestre: “É uma gostosura, meu filho. Prove”!

De volta à receita, é bem simples. Prepare um recheio. Este de hoje leva linguiça calabresa cortada em meia-lua, cebola, tomate e pimentão cortados em tiras finas, tempero verde a gosto e milho verde em conserva.

Recheio pronto e reservado. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Recheio pronto e reservado. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Frite a calabresa –  a dica é não usar óleo ou manteiga, aproveite a própria gordura da calabresa. Deixe dourar, acrescente os temperos cortados em tiras. Dê um toque a mais ao sabor do recheio colocando 50ml de extrato de tomate, uma colher de sopa de alho em pasta (você encontra em qualquer quitanda), e umas cinco gotas de molho de salsa (se não tiver, tudo bem). Cozinhe por uns 5 minutos e reserve.

Preparando a massa. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Preparando a massa. Ah! Vá limpando os utensílios para não acumular tudo na pia depois.  | Foto: Cadu Freitas/BnL

A massa do nosso cuscuz de forno é diferente da iguaria convencional. Coloque em um liquidificador dois ovos, fubá de milho ‘flocão’ (como já disse, prefiro da Vitamilho – e, acreditem, não recebo um puto furado por esse merchan! Kkk), uma xícara de leite líquido, três colheres de sopa de manteiga, uma colher de sopa de creme de cebola (aquele sachezinho que compramos nos supermercados), uma colher de chá de fermento e 30g de queijo parmesão ralado.

Bata tudo até formar uma massa homogênea e de viscosidade similar à massa de empanada.

Um pequeno ralador de inox ajuda neste momento. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Um pequeno ralador de inox ajuda neste momento. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Depois, rale 100g de queijo coalho e reserve.

Montando o cuscuz de forno: etapa 1... | Foto: Cadu Freitas/BnL

Montando o cuscuz de forno: etapa 1… | Foto: Cadu Freitas/BnL

Agora é só montar o nosso cuscuz. Unte e enfarinhe uma forma de bolo redonda. Coloque metade da massa, depois acrescente o recheio de forma proporcional.

Etapa 2... | Foto: Cadu Freitas/BnL

Etapa 2… | Foto: Cadu Freitas/BnL

Polvilhe o queijo coalho ralado e despeje o restante da massa.

Etapa 3. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Etapa 3. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Por fim, polvilhe queijo parmesão ralado e o restante do queijo coalho. Leve ao forno, pré-aquecido, por uns 15 minutos (a depender da potência do seu fogão).

Voilá - ou seria 'vualà', 'voy la'... Enfim... Eis aí! | Foto: Cadu Freitas/BnL

Voilá – ou seria ‘vualà‘, ‘voy la‘? Enfim… Eis aí! | Foto: Cadu Freitas/BnL

Pronto! Depois é só servir e se deliciar. É uma maravilha. E não se esqueça de saboreá-lo com uma boa caneca de café com leite e canela.

 

Veja também:

O cuscuz sertanejo a la Ribeira do Pombal

Comentários

Comentários