Uma semana depois de o Ministério da Saúde ter confirmado os dois primeiros casos de chikungunya transmitidos no Brasil,  já são 16 os doentes que foram infectados pelo vírus no país. Agora a cidade baiana de Feira de Santana registra 14 casos da doença. Assim como a dengue, a febre chikungunya é transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictos, mas só tem um sorotipo, ou seja, cada pessoa só pega a doença uma vez. Os sintomas  são os mesmos da dengue: dor de cabeça, febre, dores musculares e nas articulações e podem durar de três a dez dias.

Foto: Ian Jacobs

Foto: Ian Jacobs

Os dois primeiros casos da doença transmitida dentro do país foram registrados em Oiapoque, no Amapá. Antes disso, 37 pessoas tinham contraído a doença em outros países e vindo para o Brasil e confirmaram no país que estavam com o vírus.

Segundo o Ministério da Saúde, há equipes trabalhando nas duas cidades para buscar outros casos e orientar profissionais de saúde em como tratar a doença.

As ações de combate à doença são as mesmas da dengue, pois os mosquitos transmissores são os mesmos. Os sintomas também são parecidos, mas segundo o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, a letalidade da chikungunya é menor.

O tratamento é feito para combater os sintomas, com analgésico (paracetamol), hidratação adequada e repouso.

Após confirmar os primeiros casos de chikungunya em Feira de Santana, a Secretaria de Saúde da Bahia informou que está intensificando as ações de controle na tentativa de combater os vetores da doença.

As ações preventivas incluem a busca ativa de casos suspeitos e a intensificação do trabalho de campo por meio de nebulização do inseticida UBV, processo conhecido como fumacê. Também está sendo feita a eliminação de criadouros do mosquito. Ainda segundo o governo baiano, as secretarias municipais de Saúde já foram orientadas a ficar em alerta para a ocorrência de casos da doença.

*Agência Brasil

Comentários

Comentários