Recruta Nóia polia seu bute pela oitava vez naquela noite fria de inverno no quartel. A apresentação de um militar, mesmo mequetrefe como ele, deveria ser impecável. Ainda mais em noite de plantão na guarita principal de acesso à caserna. Ele não desconfiava, mas aquela noite lhe reservava doses elevadas de tensão.

– Trim, trim, trim. O estampido seco do telefone da guarita tocava em desalinho ao uniforme do militar.

Charge: Saulo Cruz

Charge: Saulo Cruz

– Base Aérea de Salvador, Portão Principal, Recruta Nóia, boa noite, em que posso ajudar? Este era o mantra que todo soldado de serviço precisava repetir.

– Aqui quem fala é o Brigadeiro Rolla…

Pausa para um flash back.

Um mês antes, no mesmo quartel, o comandante da Base solicitou do cassineiro – militar que cuida dos hotéis de trânsito para autoridades militares -, uma reserva para o senhor Brigadeiro Rolla. Um notório milico, do alto escalão aeronáutico, que passaria uma breve estada em terras baianas.

A esculhambação já começou daí. O tal cassineiro conteve o riso até quando pôde, afinal, estava diante do comandante da caserna. Não consegui!

– Brigadeiro-o-quê, comandante? Explodiu às gargalhadas.

– Rolla! Rolla! Isso mesmo, Rolla! Não ria soldado, é sério! Retrucou, meio condescendente com a situação hilária, o coronel.

Foi pedido tratamento vip, reserva do melhor quarto do hotel e zelo no atendimento na noite que o brigadeiro chegasse à Base Aérea. O cassineiro do dia da reserva se encarregou de estar de serviço para o check in de Rolla, para evitar prováveis transtornos. Afinal, era uma alcunha incomum, ainda mais para o padrão da zueira soteropolitana. O quartel também era alvo de constantes trotes telefônicos.

Era preciso vigilância.

Não adiantou…

Na noite fria de inverno no quartel, o Brigadeiro Rolla desembarcou em voo comercial, no Aeroporto da capital, que fica vizinho à Base Aérea. Não chegou em aeronave da Força Aérea, como era de se esperar. Ligou para a guarita principal, pois necessitava de uma viatura para o deslocamento até o hotel de trânsito, que fica dentro do quartel…

– Trim, trim, trim…

– Base Aérea de Salvador, Portão Principal, Recruta Nóia, boa noite, em que posso ajudar?

– Aqui quem fala é o Brigadeiro Rolla…

Ainda falava quando foi interrompido!

– E aqui é o Soldado Cú, seu fila da puta!

– Tum, tum, tum…

Depois de alertado pelo cassineiro que era, de fato, um brigadeiro que tinha ligado e que seu nome de guerra, realmente, era Rolla, o Recruta Nóia foi às lágrimas! Sabia que tomaria mais uma cadeia.

Coisas da Caserna!

Comentários

Comentários