Samba, palhaçaria, bolinhas de sabão e muita alegria para todas as idades no bairro da felicidade. Assim foi a celebração de encerramento do projeto ‘Boca de Brasa- Ano 3’, na sua décima e última etapa de 2015. O famoso bairro do Garcia foi mais uma vez palco de arte, cultura e cidadania, com a mostra de oficinas.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A mostra final, que teve como mestre de cerimônia o ator Jackson Costa, ocorreu no último domingo, 18 de outubro, e reuniu participantes das oficinas realizadas durante a semana no bairro e de outras edições anteriores, como o grupo teatral Letras Cênicas do Cabula. A cia apresentou a “Despedida de Boca e Brasa”, uma estória de dois atores que junto a outros colaboradores trabalhavam na fundação cultural, sob os cuidados do histórico dramaturgo Gregório de Mattos.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Boca de Brasa foi além da cultura, foi um ato ecumênico onde o louvor evangélico se encontrou com a musicalidade e dança afro-brasileira, o lírico com o afoxé. Os ritmos dos africanos, com o balé folclórico, como mostrou o Grupo de Dança Filhos da Mata, do bairro da Mata Escura, ao coreografar a música Cordeiro de Nanã.

Grupo Letras Cênicas | Foto: Divulgação

Grupo Letras Cênicas, com Rafael Manga e Jackson Costa | Foto: Divulgação

Os shows foram realizados num palco móvel – um caminhão equipado com estrutura completa: iluminação, camarim, sonorização adequada e equipe técnica -, na Praça Marquês de Olinda, Final de Linha do Garcia.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Promovido pela Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, o Boca de Brasa tem como objetivo incentivar a cultura da periferia de Salvador, resgatando a cidadania, por meio do fortalecimento das diversas manifestações artísticas.

A festividade foi encerrada com show da sambista Ju Moraes, conhecida pela sua performance carismática, que preparou um repertório especial para o evento.

Comentários

Comentários