Era uma vez…

De 00h de quinta-feira, 16 de dezembro, até o momento foram registrados  120 mil atendimentos no HGE, Roberto Santos e Hospital do Subúrbio relacionados a tentativa de suicídio em Salvador, de acordo com o núcleo de prevenção ao suicído. O motivo seria o bloqueio do zapzap por 48 horas, divulgado ontem à noite em todos os canais de notícias do Brasil.

Foto: Hendrik Hansen

Foto: Hendrik Hansen

“Os pacientes chegam com um quadro agudo de estado de choque, muitos delírios, taquicardia, falta de ar, insônia, ataques epiléticos, sintomas esquizofrênicos. Duzentos óbitos já foram confirmados, a maioria com traumatismo craniano causados por pancadas de smartphones; 10 mulheres por engolir o aparelho inteiro de raiva por ter  a conversa com o paquera cortada”, informou a diretora do hospital do Subúrbio.

A maioria foi encontrada em viadutos, trilhos do metrô, no subúrbio ferroviário, na ladeira da Barra, Praia do Flamengo e no Saboeiro. Nesse momento, a polícia está fazendo cerco no Dique do Tororó  onde um grupo de amigos tentam arrancar o ofá de Oxossi na tentativa de conseguir tirar a própria vida. “ Okê Arô, quero meu zap de volta!”, clamam desesperadamente!

Na maternidade Climério de Oliveira, cerca de 50 gestantes deram entrada em trabalho de parto prematuro, com fortes dores de cabeça, nas mãos e tremedeira nos olhos, alegando que se o zap não voltar a funcionar em poucos minutos, os filhos nasceriam com cara de zapzap. Os médicos acreditam que seja quadro de abstinência por falta do aplicativo.

Um alertar geral foi dado e toda a polÍcia militar está fazendo cerco em todos os bairros da cidade. A Polícia Civil também foi acionada para ajudar nos casos de mais gravidade.

Só que não! #sqn

Comentários

Comentários