Peça aproxima crianças da literatura e marca estreia no teatro da cantora Maira Lins…

A ATeliê voadOR Companhia de Teatro sempre teve aproximações e vizinhanças com a literatura brasileira. Nesse caminho, estreia no próximo dia 17 de setembro, às 17h, no Teatro Sesc Senac Pelourinho, o solo musical “A mulher que matou os peixes – uma pop-bossa samba ‘n roll”.

Foto: Heder Novaes/Divulgação

Foto: Heder Novaes/Divulgação

O espetáculo é um texto originalmente escrito por Clarice Lispector para crianças, em 1968, e traz músicas de Vinicius de Moraes, da obra A Arca de Noé. Encenado pela cantora Maira Lins, a peça tem dramaturgia e direção de Djalma Thürler e ganha roupagem de um pequeno musical de câmara, por isso seu subtítulo.

Thürler comenta que, desde que leu com intenções de montagem o texto original, vislumbrou o diálogo entre Clarice e Vinicius. “A Mulher que Matou os Peixes é ratificação de nosso interesse pela palavra. Queremos oferecer às crianças outras referências para a formação das suas subjetividades. Aproveitamos para fazer um passeio por ritmos brasileiros e acabou virando essa pop-bossa-ópera-in’roll&rdquo ;, explica.

A peça, que fica em cartaz até o final de outubro, é um convite a se pensar sobre a importância da cultura para a infância e no movimento da própria vida que é composto de alegrias e tristezas, perdas e ganhos, idas e vindas. Maira Lins realça que o espetáculo pretende encantar essencialmente, mas mostra a necessidade e a liberdade que temos de ver as coisas de formas e lugares diferente s.

“O texto coloca as crianças e os pais conectados com a necessidade de sentenciarem uma personagem completamente exposta e verdadeira que preparou minuciosamente sua defesa. Nesse julgamento-show buscamos causar identificação, nostalgia, dúvida e compaixão”, pontua Maira Lins.

Narrativa
O texto narra em primeira pessoa a história de um crime. Clarice, a personagem da encenação, mata dois peixinhos vermelhos. Porém, essa história é apenas um pretexto para prender o espectador em uma grande viagem por um mundo carregado de humanidade, um jogo delicioso e de extrema sensibilidade para concluir que a falha, o lapso, o erro e o esquecimento são inerentes a homens e mulheres.

Foto: Heder Novaes/Divulgação

Foto: Heder Novaes/Divulgação

A cantora Maira Lins, que estreia sozinha em cena, comenta que tem sido um privilégio passar pela experiência. “É uma associação especialíssima de compromisso, aprendizado, riscos, dedicação, rotina e prazer. Essa montagem já resulta em mim uma expansão artística e pessoal que vai do repertório a expressividade”.

Ela conta ainda que teve uma primeira experiência com teatro no espetáculo PUMM e estrear sozinha em cena a colocou num desafio que desperta medo e ousadia ao mesmo tempo. “Tudo isso na companhia e regência de Djalma Thürler, um diretor sagaz, de muito bom-gosto, ousado e desafiador”, descreve.

“Estar sozinha num palco por 60 minutos contando Clarice e cantando Vinicius, buscando uma defesa de um crime é uma grande responsabilidade com as obras, com o palco”, finaliza a atriz e cantora, que convida a todos para viver esse julgamento-show.

Cenário
Com direção de arte de José Dias, professor da UFRJ e Unirio, cenógrafo renomado na história do teatro brasileiro, o cenário traz um céu e uma enorme saia repletos de bichos bordados pelo Grupo de Bordar os Sonhos, projeto formado por bordadeiras do bairro de Sussuarana, em Salvador.

Projeto C
A Mulher que Matou os Peixes faz parte do “Projeto C”, composto pela montagem de dois espetáculos teatrais, um baseado em Caio Fernando Abreu e o segundo, texto de Clarice Lispector, ambos exemplos de escritores que se preocuparam em discutir literariamente problemas da experiência humana e conflitos sociais, propondo uma perspectiva singular para a formação e humanização do homem.

“Esse texto de Clarice Lispector é parte estratégica de um projeto de ampliar o acesso da infância baiana às temáticas contemporâneas, consolidando a sua capacidade de fazer nexos interdisciplinares, potencializando a compreensão de fatos, questões, invenções, avanços e conquistas sociais, culturais, artísticas e tecnológicas da humanidade”, explica Thürler.

Serviço
O quê: A Mulher que Matou os Peixes – uma pop-bossa samba ‘n roll
Quando: 17, 23, 24 e 30 de setembro; e 1, 8, 15, 22 e 29 de outubro, às 17h.
Onde: Teatro Sesc Senac Pelourinho
Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Espetáculo Infantil
Autora: Clarice Lispector
Direção e Adaptação: Djalma Thürler
Iluminação: Marcus Lobo
Elenco: Maira Lins
Direção Musical: Roberta Dantas
Cenografia: José Dias
Produção: Ateliê voadOR Companhia de Teatro

Comentários

Comentários