Ba-Vi

Agora é Ba-Vi. No próximo domingo, 23 de fevereiro, os dois maiores clubes do estado se enfrentam no estádio de Pituaçu, a partir das 16h, no primeiro clássico do ano, válido pelo Campeonato Baiano. Líder do seu grupo, o Vitória (que tem o mando de campo), busca derrotar o rival para encaminhar à classificação à fase final do Baianão. Já o Bahia precisa vencer o rubro-negro para recuperar os cinco pontos perdidos em casa (3 para o Galícia e 2 para o Vitória da Conquista), dar uma respirada e não correr o risco de ser eliminado precocemente da competição.

bavi_bahianalupaClássico vai mexer com a cidade neste domingo, no estádio de Pituaçu/Foto: Haroldo Abrantes/GovBA

Favoritismo

Não acredito em favoritismo em clássico. Esse tipo de jogo não envolve apenas quem tem o melhor time ou vive situação mais favorável, mas também fatores emocionais, de superação, que muitas vezes contrariam a lógica – o que torna o futebol ainda mais apaixonante. Contudo, penso que o Vitória chega melhor para o confronto. Com a casa em ordem, os salários em dia e classificado às quartas de final do Nordestão, o time do técnico Ney Franco tem o bom momento como aliado, além de um time mais ajustado do que o do Bahia. De qualquer forma, não me surpreenderia com um triunfo tricolor. Tudo pode acontecer.

Padrão

Segue sem padrão. Além de a diretoria deixar a desejar nas contratações até o momento, também é verdade que o técnico Marquinhos Santos segue sem conseguir dar um padrão de jogo ao Bahia. São nove jogos na temporada e quatro derrotas – em campeonatos que exigem menos do que as competições nacionais. Quem esteve na Arena Fonte Nova na quarta-feira, viu uma defesa frágil e exposta, um meio campo que deixa muitos espaços quanto a marcação e um ataque inoperante. Março já bate a porta, e a apaixonada torcida tricolor anda bem angustiada com o que vê.

Base

Segredo da Toca. Concordo que o Campeonato Baiano e o Nordestão não são parâmetros para análises mais embasadas. Mas o bom início de temporada do Vitória não é por acaso. O rubro-negro manteve a base do time que fez a melhor campanha de um clube nordestino na “era dos pontos corridos”, além do técnico Ney Franco. Ao mesmo tempo, colhe os bons frutos de suas categorias de base, como os jovens Euller, Mauri e Mineiro. Porém a lesão do meia Escudero exige uma peça de reposição à altura, que pode ser o pretendido meia Danilo, de saída do Corinthians.

Pé-frio

Pior, impossível. Provável camisa 1 da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o goleiro Júlio César estreou nesta semana com o pé esquerdo em seu novo clube, o canadense Toronto, que enfrentou o Columbos Crew em um torneio de pré-temporada, nos Estados Unidos. Ele sofreu dois gols em apenas três minutos (falhando em ao menos um), na derrota por 3 a 1. Homem de confiança de Felipão, o jogador vem de uma passagem apagada no modesto Queens Park Rangers, da Inglaterra, onde acabou na reserva. Mesmo assim, brilhou em 2013 durante a Copa das Confederações – e não deve ter seu posto ameaçado.

Aurinegro

Quebrou o silêncio. Depois de muitos dias sem notícias sobre a preparação para o Campeonato Baiano da Segunda Divisão, que começa em março, a diretoria do Ypiranga resolveu anunciar o lateral-direito Lucas Mendes como reforço para a competição, que dá duas vagas à elite do futebol da Bahia em 2015. Natural de Coração de Maria-BA, o jogador foi revelado pelo Bahia, e posteriormente teve passagens por Oeste-SP, Monte Azul-SP, Olaria-RJ e Luverdense-MT. O aurinegro estreia no dia 16, contra o Itabuna, em estádio ainda indefinido.

Paz

Vá apenas para torcer. Esta coluna deseja um clássico Ba-Vi repleto de paz neste domingo. Que a paixão pelos clubes não exceda os limites da civilidade, que as torcidas – sobretudo as organizadas – possam compreender que o futebol é um jogo e que o adversário não é um inimigo. Que todos tenhamos um clássico disputado somente no campo! Não há valor maior do que a vida humana.

Pimentinha

O Maxi Biancucchi vai desencantar justamente no Ba-Vi?

Comentários

Comentários