Amo minha Bahia, isso não nego. São daqui as mais belas praias, pontos turísticos e peculiaridades desse Brasilzão plural. Quero visitar todos os roteiros desta terra do sol, da Chapada, do Litoral, do axé e do maracatu, do acarajé e da maniçoba… Mas, a Rota BnL de hoje sai do território baiano, mas não vai para muito longe. Uma esticadela apenas para a vizinha Pernambuco, mais precisamente para um paraíso de águas azul-turquesa chamado Porto de Galinhas.

Foto: David Campbell

Foto: David Campbell

O azul exuberante das praias do lugar, localizado no município pernambucano de Ipojuca, lembram aquelas paisagens das Antilhas ou da Tailândia. É, e não tenho dúvida disso, um dos principais atrativos do local. A vontade que dá é de ficar apenas apreciando a paisagem, não desvirginá-la com um mergulho, apenas contemplá-la. Impossível, é igualmente irresistível, não há como não mergulhar.

Foto: Happy Feet

Foto: Happy Feet

Próximo de Porto de Galinhas, há outra beleza natural de extravagante e sedutor destino: Praia dos Carneiros. De catamarã, o único porto de chegada é por dentro d’água mesmo – que bom! A praia é de águas rasas e de azul-turquesa semelhante às de Porto de Galinhas, menos badalada que o destino inicial, mas igualmente revigorante para quem vai a passeio.

Praia dos Carneiros | Foto: Cadu Freitas/BnL

Praia dos Carneiros | Foto: Cadu Freitas/BnL

Voltando para Porto, à noite, a vilazinha do lugar, que bem parece aquela que temos na bela Praia do Forte, muito maior, porém, mas de características parecidas, é um convite para badalar a la praia. Há também as inúmeras estatuetas gigantes de galinhas coloridas, apostas ao longo da vila, para deleite dos turistas e de suas inquietas câmeras fotográficas, sejam elas profissionais, amadoras ou dos seus potentes smartphones.

Foto: Eduardo Marquetti

Foto: Eduardo Marquetti

A culinária é plural, há uma diversidade de sabores, de todo o país, mas a peixada (que leva pescada branca, verduras, legumes, ovo e camarões, servida com pirão) é exótica, saborosa, mas pode soar estranha ao paladar dos baianos amantes da velha moqueca com azeite de dendê. As tapiocas (ou beijú) parecem as nossas, mas têm algo diferente – não sei bem o que -, mas deliciosas (confesso que substituí a janta algumas noites para abocanhar essa iguaria, mas de uma  por noite, diga-se).

Foto: Cadu Freitas/BnL

Foto: Cadu Freitas/BnL

Bares dos mais sortidos, botecos, cafés bem interessantes, como um que tem gravuras, charges de cantores e escritores famosos nas paredes – deixei o cafezinho de lado e provei um drink nativo: vodka, gelo e suco de graviola e caja. Mais ou menos, mais ou menos… Tomei uma cerveja lager depois, para rebater (e o café, claro)! Foi melhor.

O jornalista que vos escreve, numa pausa da gonzo-crônica para degustar um saboroso café regional. | Foto: Larissa Oliveira

O jornalista que vos escreve, numa pausa da gonzo-crônica para degustar um saboroso café regional. | Foto: Larissa Oliveira

Gosta de praias? Então, férias chegando, a dica da Rota BnL é arrumar as malas e seguir para Porto de Galinhas. Pode ir via aérea e pegar um “frescão” do aeroporto de Recife direto para o destino, é barato, seguro e confortável. Ou fazer uma boa revisão no carango, colocar a bagagem no porta malas e pegar a estrada, subindo a Linha Verde. Um passeio inesquecível! Tem nosso selo de garantia Bahia na Lupa!

Turistas apreciam o local durante todo o ano. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Turistas apreciam o local durante todo o ano. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Curiosidade

Contam os nativos, e alguns livros de história, que o nome do lugar se originou devido a frase “tem galinha nova no porto”, usada por traficantes de escravos, no auge da Escravidão no Brasil, para anunciar que os navios com carregamento ilegal de escravos havia chegado ao porto.

Artesanato local. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Artesanato local. | Foto: Cadu Freitas/BnL

Os escravos eram transportados nas embarcações escondidos debaixo de caixas com galinhas d’angola. O lugar, que antes se chamava Porto Rico, devido ao comércio portuário de Pau Brasil, abundante na região, à época, passou a se chamar Porto de Galinhas.

Comentários

Comentários