Andaram dizendo por ai, nas ruas da Soterópolis, que a chuvarada que caiu nos últimos dias na capital baiana foi por culpa de Pablo. Sim, Pablo, o cara do arrocha.

É que, dizem as más línguas, alguma alma recém subida ao céu levou na bagagem espiritual um exemplar extrafísico do CD de Pablo. E, pasmem, presenteou São Pedro.

Resultado. A sofrência correu solta nos ares celestiais e o santo, que cuida das comportas lá do alto, abriu a torneira à rodo. Foi chuva – leia-se, choro de São Pedro – a torto e a direito.

“Estou indo embora, a mala já tá lá fora”… até São Pedro chora.

Comentários

Comentários